A casa de câmbio sul-coreana de criptomoedas Bithumb, uma das mais importantes a nível mundial por seu volume de transações, anunciou hoje quinta-feira, 28 de junho, que tem recuperado boa parte do montante roubado por hackers há pouco mais de uma semana.

Por meio de uma publicação no seu website, Bithumb deu a conhecer que tem conseguido reduzir o custo dos danos causados pelo ataque cibernético sofrido o passado 19 de junho, quando um grupo de hackers subtraiu o equivalente a 35 bilhões de won sul-coreanos, o equivalente a 31 milhões de dólares estadunidenses.

Graças à colaboração de outras casas de câmbio ao redor do mundo, foram resgatados uns 14 milhões de dólares em criptomoedas, o que deixa outros $17 milhões pendentes por ser recuperados ou ressarcidos de alguma forma aos usuários desta casa de câmbio.

O anúncio de Bithumb revela que, das 11 diferentes criptomoedas que foram roubadas, as que geraram um maior déficit foram bitcoin (BTC), ripple (XRP) e ether (ETH). Apenas o montante extraído em bitcoin (2.016 BTC) representa mais do 30% do total do saque.

A plataforma de intercâmbio mantem suspendidos até ao momento tanto depósitos como retiros e não deram uma data provisória de quando poderão ser realizados novamente estes tipos de operações.

A estratégia de estabelecer alianças com outras casas de câmbio por parte de Bithumb a fim de recuperar os fundos furtados já tinha sido anunciada anteriormente, pouco depois do ataque. Nessa oportunidade também se mencionou que a casa de câmbio conta com um fundo de 500 milhões de dólares, os quais estão destinados cobrir perdas por roubos a contas de seus usuários. Portanto, ainda se não se conseguisse o resto do montante extraído, este fundo é mais que suficiente para dar resposta ás vítimas.

Uma das consequências que levaram o hacker ao Bithumb foi um congestionamento momentâneo da rede Bitcoin, poucas horas após o ocorrido. O atraso na confirmação das transações é atribuído a este acontecimento, uma vez que, como uma medida de segurança, os fundos restantes das carteiras de BTC da plataforma foram transferidos para uma carteira fria, onde seriam salvaguardados através de um procedimento conhecido como consolidação.

 

Imagem destacada por: ladysuzy / stock.adobe.com

Traduzido de: CriptoNoticias