Os internautas de África do Sul, Eslovénia, Países Baixos, Cingapura e Austrália foram os que mais procuraram a palavra Bitcoin em Google, no lapso compreendido entre o 1 de janeiro e o 1 de maio de 2018.

De acordo às estatísticas de Google Trends, o cálculo se fez numa escala do 0 ao 100, na que “100 indica a localização com maior frequência de buscas em proporção ao total de buscas realizadas nessa localização”. Desta forma, África do Sul conseguiu uma pontuação de 100, Eslovénia obteve 83, Países Baixos conseguiu 79, Singapura 76 e Austrália 74.

Adicionalmente, a busca da palavra teve seus picos mais altos, tanto nestes países como a nível mundial, o 17 de janeiro e o 6 fevereiro de 2018, baixando o interesse já no final de fevereiro e estabilizando-se abaixo da popularidade média desde março. O interesse pelo termo pode relacionar-se com alguns acontecimentos relacionados com o mercado dos criptoativos nas datas citadas, destacando entre eles a diminuição significativa dos preços das criptomoedas durante esses meses.

O 16 de janeiro o mercado de criptoactivos teve uma de suas cotações mais baixas, e a notícia do momento foi sobre a quantidade de tokens e criptomoedas que apresentaram uma queda de mais de 20% contra o dólar estadunidense. Para essa data, depois da espetacular alça obtida em dezembro de 2017, que o levou a cotar-se sobre os $20.000, bitcoin baixou a um valor próximo aos $11.000.

Da mesma forma, o 6 de fevereiro foi outra das datas nas quais bitcoin apresentou outra queda significativa desde novembro de 2017, cotando-se abaixo dos $7.000, fato que também se converteu em notícia destacada nesse dia.

Logo das anteriores datas, as buscas em Internet mostram um declínio drástico a partir de março, até localizar-se em níveis semelhantes aos de outubro de 2017. Esta tendência se tem mantido até maio 2018, de acordo à gráfica de Google.

interesse-sobre-Bitcoin-interesse-sobre-Bitcoin
  • Facebook
  • Twitter
  • Google+
  • LinkedIn

interesse-sobre-Bitcoin-interesse-sobre-Bitcoin
  • Facebook
  • Twitter
  • Google+
  • LinkedIn
Gráfico de interesse sobre o Bitcoin. Fonte: Google Trends

INTERESSE LOCAL COINCIDE COM INTERESSE MUNDIAL

Os cibernautas interessados pelo termo Bitcoin no lapso analisado também exploraram alguns temas relacionados com o setor das criptomoedas, com os quais se pode obter informação adicional que ajuda a entender o interesse mostrado pela palavra.

Desta forma, conforme os dados de Google, as principais frases relacionadas que se digitaram têm que ver com o preço e a relação de Bitcoin com o dólar estadunidense. Tudo isto é indicador de que as notícias relacionadas com a baixa do preço nas datas mencionadas influíram na pesquisa.

Ao respeito, um estudo realizado por SEMrush no ano passado, confirmou que o preço do Bitcoin e o volume de buscas em geral da palavra em Internet estão relacionados num 91%.

Particularmente, nos países citados, onde a busca da palavra Bitcoin foi maior, também as consultas estiveram relacionadas com o preço do bitcoin, sendo de maior interesse para o público de África do Sul, Eslovénia e Cingapura. Enquanto em Países Baixos se indagou também sobre a relação de bitcoin com o euro e até sobre cursos de bitcoins.

Convém mencionar que África do Sul, o país mais interessado por Bitcoin,  se destaca pela popularidade que têm adquirido as criptodivisas. Devido ao auge de seu uso, o Serviço de Rendas Públicas de África do Sul proximamente aplicará impostos às transações com criptomoedas.

Por sua vez, Eslovénia se destacou em março passado por ser o primeiro país onde se realizou um tributo escultórico público ao Bitcoin; e em Cingapura recentemente pôs-se em ação o plano piloto de Tangem, companhia que tem criado um modo de comerciar com moedas virtuais de maneira física, criando bilhetes inteligentes que possuem um chip com uma carteira de criptomoedas integrada.

 

Imagem Destacada por meepoohyaphoto / stock.adobe.com

Traduzido de: CriptoNoticias