Localizado na costa oriental da Índia, bem em frente da baía de Bengala, a capital portuária de Vishakhapatnam – também conhecida como Vizag – se constitui como centro financeiro do estado indiano de Andhra Pradesh. A cidade é conhecida por ser um destino turístico popular, dedicado por sua vez ao desenvolvimento da indústria de tecnologia de informação (IT) e selecionado pelo Estado para formar uma cidade inteligente. Agora, além de todas estas características, Vizag está trás da busca de tornar-se um centro de inovação de ferramentas blockchain.

O secretário especial e assessor em tecnologia de informação, J.A. Chowdary, informou ao jornal regional The Hindu, que o Instituto Autónomo Governamental de Eletrônicas  AP e Agências  IT, melhor conhecido como APEITA, em conjunto com a Universidade local de GITAM e representantes do governo estadunidense estão trabalhando com o objetivo de estabelecer um centro capital para atrair e gerar soluções DLT a grande escala.

O projeto já está dando os seus primeiros frutos na região em vista de que o Instituto de Criptologia da Índia, J.C. Bose, tem planejado estabelecer uma sede em Vizag.  Da mesma maneira, a Universidade de GITAM está realizando palestras e convenções com o assessor Chowdary para discutir sobre as possíveis estruturas para a investigação e produção de novas ferramentas inovadoras para o desenvolvimento tecnológico e financeiro da cidade.

28VJVZGITAM
  • Facebook
  • Twitter
  • Google+
  • LinkedIn

28VJVZGITAM
  • Facebook
  • Twitter
  • Google+
  • LinkedIn
J.A. Chowdary (segundo á direita) tem trabalhado em conjunto com Srinivas Kandula, CEO de uma importante empresa de consultoria de tecnologias inovadoras, Capgemini Índia. Fonte: The Hindu.

UM CONCURSO DE 1 BILHÃO  DE DÓLARES

Para promover a formação de Vizag como vale Fintech, as organizações estatais e tecnológicas que estão trás deste objetivo decidiram promover um futuro concurso de desafio que convocará as empresas dedicadas às ferramentas DLT de todo o mundo no próximo mês de outubro.

A premiação está organizada com um líquido de 1 bilhão de dólares, um montante que persegue a missão de motivar vários startups do setor e selecionar as melhores empresas para começar a operar na localidade o mais breve possível.

Ademais da tecnologia de contabilidade distribuída, a região procura desenvolver diferentes aplicações dedicadas à informação tecnológica em geral. Por exemplo, as investigações também se enfocarão na área de seguridade cibernética e plataformas de análises, a fim de gerar maior emprego na região.

Srinivas Kandula, CEO de Capgemini Índia,  empresa dedicada á consultoria, tecnologia e serviços de subcontratação, elogiou a iniciativa governamental de converter a Vishakhapatnam em um ponto de referencia tecnológica de plataformas da nova era digital.

O diretivo considera que este tipo de projetos poderia capacitar á muitos engenheiros graduados da Índia sobre os novos conhecimentos tecnológicos cada vez mais inovadores, panorama que não se tinham apresentado antes devido á falta de sedes de investigação que ajudarão ao desenvolvimento de conhecimento em nestas áreas.

Índia tem caracterizado neste 2017 por as suas múltiplas iniciativas e projetos estatais e privados sobre a contabilidade distribuída, o crescimento do setor que tinha sido prognosticado por KPMG recentemente . Desta maneira, a nação vive um desenvolvimento sem precedentes na indústria DLT que promete grandes adoções futuras, com entidades governamentais envolvidas e discussões sobre as moedas criptográficas.

Igualmente, esta não é a primeira vez que uma cidade aposta por tornar-se uma sede de inovação e desenvolvimento de blockchain. Já duas comunidades chinesas têm posto os olhos em DLT, uma de elas é a cidade de Hangzhou que celebrou uma importante conferência global sobre blockchain, a qual contou com a presença do co-fundador de Ethereum, Vitalik Buterin, como convidado especial; e a outra é a turística região de Chengdu que também organiza a sua própria Cimeira do Fórum blockchain.

 

Traduzido de: CriptoNoticias