Em várias oportunidades as tecnologias de contabilidade distribuída se têm delineado como o melhor aliado da educação, já seja como plataforma para a proteção do conhecimento escrito, a certificação de títulos educativos ou a gestão dos dados estudantis. Neste sentido, a comissão Europeia realizou recentemente uma investigação que procura estudar o melhoramento e os riscos da DLT no setor educacional internacional.

O relatório foi apresentado em conjunto com a unidade de capital humano do escritório JRC Ciência para Política de Relatório, com a colaboração de 24 personalidades do ecossistema dedicada ás tecnologias distribuídas, a educação e a política legislativa.

Destacou-se que a blockchain é uma tecnologia que supera outras soluções do mercado dedicadas ao setor educativo. Isto se deve a que as ferramentas DLT têm sua própria governança, confiabilidade, colaboração, transparência, imutabilidade e disseminação, caraterísticas que se adequam ás necessidades da comunidade estudantil.

A investigação tem como objetivo gerar uma nova estrutura digital para as instituições que ministram conhecimento, considerando por a sua vez que a blockchain tem a capacidade de revolucionar a forma em que trabalham os estudantes, professores e sistemas administrativos da academia.

Desta maneira, a Comissão Europeia propõe que DLT poderia impactar principalmente no sistema de certificados educacionais, permitindo uma maior organização e atualização a tempo real:

A tecnologia Blockchain é ideal como uma nova infraestrutura para assegurar, compartilhar e verificar realizações de aprendizagem (Smolenski, 2016). No caso das certificações, uma cadeia de blocos pode manter uma lista do emissor e receptor de cada certificado, junto com a assinatura do documento (hash) em uma base de dados pública (a cadeia de blocos) que se armazena de forma idêntica em milhares de computadores em todo o mundo.

Comissão Europeia

A pesquisa também destacou que blockchain poderia mudar a maneira em que se organiza a documentação educativa, qualificando e quantificando dita informação. As tecnologias de contabilidade distribuída também permitiriam verificar a informação ao momento, criar estruturas para a gestão de uma grande quantidade de dados e inclusive podem facilitar os pagamentos de algumas instituições por meio de criptomoedas.

A investigação forneceu as informações necessárias para que a comunidade europeia possa ativar os mecanismos que desenvolvem novas oportunidades para blockchain nesta área. Desta maneira, o relatório centrou-se nos diversos casos de uso e benefícios essenciais que tem DLT para oferecer, bem como nos desafios que apresentam esta ferramenta em longo prazo.

A Comissão Europeia também baseou todas essas observações refletindo sobre as várias iniciativas acadêmicas a nível mundial que envolve a blockchain. A maioria desses projetos ainda está em sua fase piloto, mas têm representado um poderoso avanço institucional do ecossistema com representação na Universidade de Nicósia, a Universidade Aberta de Reino Unido e o Instituto Tecnológico de Massachusetts.

Não obstante, embora a previsão seja encorajadora, o órgão legislativo europeu ressaltou que ainda é muito cedo para dar um último veredicto sobre as soluções DLT, visto que as mesmas estão em pleno desenvolvimento e passarão um longo tempo até que consigam sua maturação. Esta realidade não descarta que a União Europeia possa promover a investigação acadêmica sobre as tecnologias de contabilidade distribuída.

 

Traduzido de: CriptoNoticias