A versão 2.0 da rede de comércio digital baseada em blockchain, OpenBazaar, tem sido oficialmente lançada em beta, contando com novas caraterísticas como integração de SegWit, Tor, lojas offine e ferramentas para os vendedores que melhoram a experiência do usuário com respeito á versão anterior.

Após um mês de provas em seu estado alfa, Open Bazaar fez público em dias recentes o lançamento da versão de prova de OpenBazaar 2.0 através de seu blog, sendo a primeira vez que a loja virtual trabalhará com produtos reais e aceitará pagamento reais em bitcoin.

Entre ditas caraterísticas destaca que agora as lojas e as listas de OpenBazaar poderão ser visitadas por os compradores até mesmo fora de linha, graças á implementação do protocolo IPFS ou Interplanetary File System, o qual distribui a informação entre os usuários de OpenBazaar para melhorar o tempo de funcionamento das lojas e a disponibilidade dos produtos. Esta atualização permite que, mesmo com o computador executando a loja fora de linha, outros nós da rede possam exercer a loja e permitir os usuários façam seus pedidos.

E para comprar ditos produtos OpenBazaar anuncia a implementação da primeira carteira bitcoin integrada dentro da plataforma, a qual, ademais de ativar transações com SegWit para transações mais rápidas e econômicas, suporta Bitcoin Cash. Isto sem mencionar a compra com qualquer criptomoeda disponível em ShapeShift graças á implementação do shifty button anunciado em dezembro de 2016.

Além disso, para a comodidade dos usuários, fizeram acessível ao cliente as barras de pesquisa de terceiras partes como OB1, aumentando a velocidade e precisão das pesquisas com respeito a versões anteriores. Sobre a decisão de integrar motores de busca de terceiros na plataforma, Mike Wolf, chefe do projeto de OpenBazaar, comenta:

Quando se compra em plataformas de comércio digital como Amazon ou eBay, estamos forçados a utilizar seus motores de busca internos, os quais poderiam classificar artificialmente suas marcas internas ou a seus parceiros melhores que pagam por acima dos vendedores independentes. Em OpenBazaar evitamos problemas de favoritismo apoiando um rico ecossistema de provedores de pesquisa. Mike Wolf

Chefe de projeto, Open Bazaar

Também, para aqueles clientes interessados em proteger a privacidade de suas compras e vendas, agora se pode utilizar o navegador Tor para ingressar em OpenBazaar, seguindo as presentes instruções para Windows, e estas outras para OSX e Linux. Se bem que OpenBazaar não é um mercado da Darknet, é provável que muitos vendedores comecem a publicar seus produtos em esta loja baseada em blockchain para assim aproveitar os níveis de proteção que a descentralização da plataforma apresenta diante seguimentos de autoridades policiais.

Por último, para os vendedores, se tem incluído caraterísticas que melhoram a utilização do inventário, aumentam as opções de envio, assim como a possibilidade de juntar variantes adicionais que ampliem os detalhes respeito ao produto vendido, tais como os tamanhos e cores adicionais, materiais, entre outros.

Com tudo, mesmo esta versão de OpenBazaar não é a definitiva, e seus criadores admitem que ainda observam erros por os que se mantem trabalhando em possíveis soluções, entre as que mencionam a estimação das comissões, a qual na atualidade tende a colocar cifras muito altas, assim como o erro em OSX e Linux que mostra o mensagem “demasiados arquivos abertos”, sobre a que dizem que se resolve automaticamente sim se espera alguns minutos. Diante isto, oferecem um portal de sugestão para que os usuários reportem os erros que consigam no transcurso de sua experiência com esta versão beta.

Traduzido de: CriptoNoticias