Nas primeiras horas da noite de hoje se conheceu que Bithumb, a maior casa de câmbio de Coreia do Sul, foi investigada pelas autoridades policiais e tributárias desse país.

Conforme informa a agência Reuters, um representante de Bithumb assegurou que nesta quarta-feira a casa de câmbio foi intervencionada pelas autoridades tributárias para fazer controladoria em documentos e livros contábeis. Outras fontes assinalam que os investigadores obtiveram informação de carácter financeiro e confiscaram discos duros. A informação é apoiada pela agência YonhapNewsTV.

Por sua vez, um porta-voz de Coinone, outra casa de câmbio sul-coreana, assegurou que seus escritórios também foram investigados durante esta semana, assinalando ademais que as forças policiais locais têm estado investigando essa casa de câmbio durante o último ano, pois têm a crença de que realizam apostas ilegais.

De acordo a informação de Hankyoreh, essa casa de câmbio foi supervisionada esta semana pelas autoridades, quem só fizeram perguntas com respeito ao tamanho da companhia, a quantidade de empregados e os ganhos capitais de sua atividade.

O serviço noticioso de Coréia SBS anunciou, por sua vez, que o Ministério de Justiça da nação asiática estaria continuando sua própria agenda para supervisionar às casas de mudança e regular os mercados de criptoativos.

O ministério assinalou um episódio no qual um jogo de apostas chamado Sea Story se popularizara, deixando atrás dele mais de 1 milhão de pessoas desapontadas e, ademais, adictas patológicas aos jogos de azar e apostas:

O Ministério de Justiça considera que a louca especulação com as moedas digitais terão um impacto a nível nacional 10 vezes mais alto que o do jogo Sea Story. Em um ou dois anos as borbulhas de especulação colapsaram e 3,3 milhões de pessoas podem sofrer danos por cerca de 12 bilhões de wones. Não há razão para duvidar sobre regular as criptomoedas.

Ministério de Justiça de Coréia do Sul.

Ademais, asseguram ter previsto legislar muito em breve o âmbito dos criptoactivos para evitar a existência de intermediários ilegais no marco das discussões desta semana.

Estas medidas podem não ter sido tão supressivas para os afetados, pois há algum tempo o governo de Coréia do Sul tem acordado interesses sobre o tema das criptomoedas e blockchain. Também tem identificado a urgência de regular as casas de câmbio de um dos principais mercados mundiais, considerando as preocupações com respeito aos delitos como a legitimação de capitais na quarta economia de Ásia.

De facto, no passado domingo se conheceu que as autoridades investigariam todas as contas bancárias inscritas em casas de câmbio para determinar se seus proprietários estão envolvidos.

Este dinâmico mercado se caracterizou por sustentar preços mais altos nas criptomoedas que comercializam com respeito ao resto do mundo, razão pela qual, inesperadamente, a website CoinMarketCap decidiu afastar as casas de câmbio de Coréia do Sul de seu índice de preços e mercados global.

 

Traduzido de: CriptoNoticias