O interesse dos consumidores por descarregar aplicações relacionadas com bitcoin e as criptomoedas aos seus telefones e outros equipamentos, não parece ter mudado com relação ao registrado no primeiro semestre de 2018, quando o mercado dos ativos digitais se afundou, de acordo com o seguidor de aplicações App Annie.

Embora o bitcoin triplicasse de preço no último trimestre, talvez o ecossistema em torno ás criptomoedas não é tão entusiasta como muitos pensam.

Aplicações de criptomoeda se estagnam

Em muitos cantos do mundo, os telefones móveis são a única maneira de acessar a Internet e interagir com criptomoedas. Inclusive nos mercados desenvolvidos, como é o caso dos Estados Unidos, muitas pessoas usam aplicações em seus telefones para negociar com criptomoedas.

A aplicação App Annie monitora os downloads que se realizam na Apple App Store e Google Play. Conforme o registro até 26 de junho, dentro da seção de finanças são mais de 6.500 aplicações com palavras como: criptomoedas, bitcoin e blockchain na descrição.

No primeiro semestre de 2019 foram descarregadas 67 milhões de aplicações de criptomoedas, o qual representa apenas um 3,4% de crescimento, em comparação com as 65,8 milhões de downloads registradas no primeiro semestre do ano. Desde janeiro de 2018, o número total de aplicações tem aumentado um 35%, graças ao lançamento da aplicação da casa de câmbio Gemini.

As aplicações são apenas um dos muitos indicadores de que o entusiasmo dos consumidores poderia não estar impulsionado o rali ascendente deste ano. Isso se traduz que talvez a adoção não esteja crescendo ao mesmo ritmo do preço. Por exemplo, também a procura da palavra bitcoin no Google foi cinco vezes maior em dezembro de 2017.

 

Versão traduzida do artigo de Olga Kharif, publicado na Bloomberg
Imagem destacada por SasinParaksa / stock.adobe.com
Traduzido de: CriptoNoticias