A China parece estar retirando sua dura postura contra o bitcoin e as criptomoedas, expressou um importante empresário da Internet á CNBC na segunda-feira. “ Temos visto, desde meu ponto de vista, uma atitude mais suave na China em relação ás criptomoedas”, disse Jeremy Allaire, co-fundador e CEO da empresa de serviços financeiros de criptomoedas Circle.

Ele fundou e ocupou anteriormente o cargo de diretor executivo do provedor de transmissão de vídeo Brightcove. Também foi técnico da General Catalyst, uma empresa de capital de risco com sede em Cambridge.
Em 2017, a China começou a proibir as ofertas iniciais de bitcoin e a fechar as casas de câmbio de criptomoedas.

Mas à medida que aumenta o interesse mundial pelas criptomoedas e grandes nomes, como Facebook, respaldam suas próprias moedas digitais, é possível que China queira unir-se ao movimento.

Em meados de julho, um tribunal chinês reconheceu legalmente ao Bitcoin como propriedade digital. Pouco depois, o Banco de China, de propriedade estadual, começou a comercializar bitcoin e criptomoedas.

“Há muita participação chinesa neste mercado”, disse Allaire, referindo-se ao Bitcoin. “Há muitas grandes casas de câmbio no estrangeiro”, acrescentou, que a gente está usando-a para apostar pela indústria.

As moedas digitais estão começando a ser vistas como uma atrativa cobertura em tempos de perturbação econômica.
O Bitcoin, que se disparou ao redor de um 200% em 2019, subiu para 9% na segunda feira e superou os USD 11.000 devido à incerteza do fim de semana entre a China e os Estados Unidos, o qual abalou aos mercados de valores mundiais.

O presidente Donald Trump anunciou na semana passada que os Estados Unidos imporia uma taxa de 10% a USD 300.000 milhões adicionais de importações chinas a partir de 1º de setembro.

Na segunda-feira, a China sofreu as consequências ao registrar uma queda em sua moeda para o nível mais baixo em mais de uma década.
No entanto, convém mencionar que as criptomoedas têm sido altamente voláteis nos últimos anos, com bitcoin oscilando desde seus máximos históricos acima de USD 19.000 em dezembro de 2017, até seus mínimos recentes em torno aos USD 3.200 um ano depois.

 

Imagem destacada por Jiri Hera / stock.adobe.com
Versão traduzida do artigo de Jessica Bursztynsky, publicado na CNBC.
Traduzido de: CriptoNoticias