O governo chinês lançou uma campanha através da mídia controlada pelo Estado, para enfrentar a proliferação de fraudes em nome da tecnologia blockchain e as criptomoedas. Os relatórios assinalam que, após o recente apoio público por parte do presidente desse país, Xi Jinping, houve uma espécie de frenesi no mercado chinês das redes blockchain.

Conforme alguns relatórios provenientes da China, a estação de televisão CCTV (Central China TV), o canal oficial do Partido Comunista Chinês (CCP), emitiu uma reportagem chamada “Blockchain não é uma cadeia de dinheiro”. O especial foi apresentado no espaço de um programa de grande audiência, em hora nobre, chamado “Focus Interview”.

A reportagem audiovisual, divulgado na segunda-feira 18 de novembro, indica que 32.000 projetos são promovidos na China que afirmam usar redes blockchain. Não obstante, ela adverte que menos de 10% dessas empresas usam essa tecnologia ou trabalham com ela. Os dados são atribuídos pelo um funcionário de nome Wu Zhen, chefe de um laboratório tecnológico- financeiro do Estado, em uma nota no site da CCTV.

Wu Zhen assinalou que grande parte dessas empresas está aproveitando do atual boom do conceito por trás da blockchain para ganhar impulso, mas na realidade seus projetos não contam com uma cadeia de blocos. Também foram divulgadas cifras do Centro Nacional de Emergência da Internet, que Zhen dirige, conforme as quais o preço de 755 tipos de moedas digitais na China tem caído e 102 corresponde a esquemas de pirâmide (ponzi).

Adicionalmente, foram incluídas declarações do presidente da China, Xi Jinping, onde afirma que as criptomoedas são inseguras, fraudes financeiras e esquemas ponzi. A declaração ratifica o modelo “blockchain sim, criptomoedas não” que a China tem manipulado e deixa claro que o endosso ao uso de redes blockchains não implica uma abertura para as criptomoedas de redes públicas.

Desde sua conta no Twitter, Dovey Wan, co-fundadora de Primitive Ventures, destacou que o presidente chinês não incluiu Bitcoin especificamente como uma criptomoeda fraudulenta. “Para min, é bastante claro que China não tem intenção de adotar nenhuma criptomoeda pública aberta e é por isso que sempre tem uma narrativa de Blockchain, não Bitcoin”, disse Wan num Tweet. Em sua opinião, é provável que no futuro o governo chinês nacionalize a infraestrutura relacionada com as criptomoedas, como os equipamentos ASIC, a mineração e o comercio de criptomoedas.

Por sua parte, o CEO do Sino Global Capital, Matthew Graham, publicou num tweet nesta terça- 19 de novembro, onde relata que o governo oferece recompensas aos cidadãos chineses que denunciem a arrecadação ilegal através de criptomoedas, ou por meio do uso de blockchains. De acordo como ele explicou, essa medida poderia afetar gravemente as casas de câmbio de segundo nível, como o Biki.

Imagem destacada por vegefox.com/stock.adobe.com
Traduzido de: CriptoNoticias