Recentemente Coinbase tem tomado decisões que dificultam a adoção de criptoativos por parte de empresas comerciais. A companhia decidiu modificar seus serviços para comerciantes e suspender a conta de Wikileaks Shop, alegando o incumprimento desta plataforma com a lei de Estados Unidos.

Em primeiro lugar está CheapAir, empresa de viagens e turismo que faz mais de quatro anos começou a aceitar bitcoins como meio de pagamento. De acordo com seu CEO, Jeff Klee, Coinbase decidiu modificar seu serviço de pagamentos e suspendeu suas funções de custódia.

Esta característica era utilizada pela empresa para processar os pagamentos em criptomoedas e mudar para moedas fiat a parte dos fundos correspondente a seus provedores. Outras empresas deste ramo, como bookwhitbit, também têm sido afetadas.

A realidade é que, por muito que amemos Bitcoin, nossos provedores de viagens (aerolíneas e hotéis) ainda não estão aí. Dado que temos que transferir-lhes imediatamente a maior parte do que vocês nos pagam, nossa única opção é converter os BTC a dinheiro fiat ao momento de recebe-los. Coinbase nos tem proporcionado esse serviço mas no final deste mês deixaram de fazê-lo, deixando-nos desconcertados procurando uma alternativa.

Jeff Klee

CEO , CheapAir

Para remediar o efeito da decisão de Coinbase, a empresa perguntou a seus usuários se consideravam que BitPay era uma boa opção, pois esta plataforma só permite o uso de carteiras que contem com o protocolo BIP70.

Ainda que assegura que compreende o uso deste protocolo para solucionar os problemas apresentados pelo congestionamento da rede de Bitcoin, também indicam que não querem voltar mais complicada a dinâmica de pagamento para os usuários. Portanto, Jeff Klee convidou aos usuários a oferecer suas alternativas, quem sugeriram o uso de diferentes plataformas, como BTCPay, Aliant Payment ou LTCPay, entre outras.

WIKILEAKS E A LEI

Quanto a Wikileaks, a empresa alegou que suspendia os serviços comerciais da loja desta página web devido ao carácter deste projeto viola as leis dos Estados Unidos, país onde se encontra a sede de operações da empresa.

No documento, publicado através da conta oficial em Twitter de WikiLeaksShop, se lê o argumento de Coinbase:

Coinbase é um Negócio de Serviços Financeiros regulado pela Rede de Controle de Delitos Financeiros (FinCEN) e, para conseguir este objetivo, estamos comprometidos legalmente a cumprir com os mecanismos regulatórios.

Depois de uma revisão cuidadosa, achamos que sua conta tem incorrido em usos proibidos por nossos Termos de Serviço e lamentamos informar-lhe que já não pode aceder a nossa plataforma.

Coinbase

A decisão é extremamente controvertida, pois uma das características que tem ajudado a que as criptomoedas ganhem peso entre os usuários é que seu funcionamento não está sujeito às mesmas exigências que os bancos, algo que Coinbase põe em causa com seu alegado.

“Temos fechado o círculo. O interesse de muitas pessoas em bitcoin começou quando WikiLeaks estava baixo um embargo extrajudicial por VISA, MC, PayPal e os bancos. Agora Coinbase repete a história”, comentou o reconhecido entusiasta de Bitcoin, Andreas Antonopoulos. WikiLeaks revelou que em consequência desta adoção teve um rendimento significativo devido ao aumento do preço das criptomoedas.

Wikileaks inclusive chamou à comunidade bitcoiner a boicotar a Coinbase, afirmando que sua decisão contravém a natureza mesma das criptomoedas, graças à que o próprio web de filtragens tem podido manter-se, pois perante o bloqueio no sistema financeiro tradicional empreenderam um processo de financiamento através de criptoativos.

Na loja de Wikileaks se encontram produtos alusivos à orientação editorial de suas revelações, pelo que este bloqueio se interpretou como uma sorte de censura e um golpe à natureza descentralizada e autónoma das criptomoedas e sua adoção.

Em os ambos casos a decisão de Coinbase tem incidido na forma na que os usuários podem utilizar seus bitcoins, colocando o interesse empresarial acima das necessidades de sua comunidade. As criptomoedas oferecem a seus usuários a possibilidade de manejar de maneira mais direta suas finanças, no entanto as decisões unilaterais de empresas com grande peso no ecossistema podem comprometer a adoção.

 

Imagem destacada de adrian_ilie825 / stock.adobe.com

Traduzido de: CriptoNoticias