De acordo a Thomas H. Lee, co-fundador e chefe de investigação da firma Fundstrat Global Advisors, o crescimento da infraestrutura mineira apoiará a apreciação do valor de Bitcoin, o qual poderia chegar a $36.000 no final de 2019.

O prognóstico faz parte da recente investigação publicada na página oficial de Fundstrat Global Advisors, companhia de investigação e desenvolvimento de estratégias de mercado, cujo resumo foi realizado pelo empresário e investidor estadunidense através de sua conta em Twitter.

O perito de Wall Street acrescenta que sua tese sobre o preço do bitcoin tem um risco, relacionado com a trajetória do índice de hash (medida da potência de processamento da rede Bitcoin), o qual poderia mudar a capacidade de suporte para os preços. Ainda assim pensa que o crescimento deste índice poderá suportar um valor de $36.000, com uma faixa que iria desde $20.000 até $64.000 até finais de 2019.

Entre as argumentações para seu vaticínio, Thomas H. Lee assegura que são muitas as probabilidades de que a economia mineira cresça durante os próximos anos, devido à entrada de novos equipamentos mineiros com maior potência por watt. Isso somado a uma redução dos custos de eletricidade, cuja alça, a seu julgamento, se tem vindo desacelerando.

Assim mesmo, opina que a tendência na área da mineração de criptomoedas levará a uma concentração a grande escala, o que fará que os pequenos mineiros tenham que unir-se aos grandes pools de mineração a fim de chegar a ser mais competitivos.

Este prognóstico do perito, para quem Bitcoin seguirá sendo a primeira em capitalização do criptomercado, se relaciona com suas recentes afirmações, nas quais assinala que o preço do bitcoin chegaria novamente aos 20.000 dólares para meados do ano em curso, com um possível incremento a 25.000 dólares para finais de 2018. Ainda que em agosto do ano passado Lee tinha vaticinado que o valor de bitcoin chegaria a 6.000 dólares em meados deste 2018.

No final de 2017 bitcoin chegou a valer até 20.000 dólares, principalmente devido ao lançamento dos futuros de CME Group e Cboe, sendo esse no ano dos máximos históricos da principal criptomoeda. No que vai de 2018, seus preços têm tido baixas significativas desde princípios de ano, chegando a cotações mínimas até abaixo dos $7.000 a inícios de fevereiro.

A princípios deste mês de maio o valor de bitcoin se manteve numa média que ronda os $9.000. Para a data de publicação desta nota teve uma baixa a $8.571 que os analistas já assinalam como uma reação dos mercados às investigações iniciadas em Coréia do Sul à casa de câmbio Upbit.

 

Traduzido de: CriptoNoticias.