Aqui está uma oferta inicial de moedas (ICO) que é quase absolutamente ilegal, e não só sob as leis de valores mobiliários.

A Hydra, que é relatada como o maior mercado negro da dark web, que fornece serviços à Rússia e países vizinhos, disse estar procurando arrecadar USD 146 milhões por meio de uma ICO ou oferta inicial de moedas, para financiar sua expansão a nível mundial.

De acordo com um memorando de investimento do site, no qual é difícil aceder sem um mecanismo de pesquisa especialmente anonimizado, a venda dos tokens foi estabelecida para realizar-se em 16 de dezembro.

Os tokens oferecidos na ICO terão um preço de USD 100 cada um, os quais estarão disponíveis para a compra na plataforma bitcoin. Um “pacote” de 100 tokens lhe proverá ao comprador 0,00333333% de participação nos ganhos da Hydra, de acordo com o memorando. Neste não faz menção qual será a blockchain, se houver, no qual os tokens serão executados.

Dada à natureza ilícita desse negócio, a oferta de tokens de Hydra poderia ser a mais flagrante da historia, inclusive em comparação com as ICO que impulsionaram o conjunto de requisitos de registros nos Estados Unidos em 2017. O meio de notícias russo, o ForkLog, advertiu que essa venda poderia ser uma fraude de saída, algo comum nos mercados da dark web.

Os anúncios no memorando da oferta Hydra não são mais que atrevidas. Ao presumir de suas capacidades em segurança e resistência aos ataques, a equipe por trás da Hydra diz que deseja apresentar ao resto do mundo seu método de comércio de contrabando “livre de contato”, no qual o comprador, o vendedor e o courier nunca se encontram.

“Isso começará uma nova era no oeste. É difícil imaginar o nível de expansão” diz o memorando.

A ICO dos tokens Hydra financiaria o desenvolvimento de um novo serviço chamado Eternos, que é descrito como um mercado da dark web a nível global combinado com um serviço de mensagens criptografadas, um mecanismo de pesquisa anônimo semelhante ao Tor, um sistema de resolução de disputas baseado em Inteligência Artificial e um mercado over the conter (OTC).

“Sem o KYC, tudo será anônimo e no mais alto nível. Nós não somos TON” diz o anúncio, em relação ao projeto blockchain da aplicação de mensagens do Telegram, o qual requer que os compradores de seus tokens passem por uma revisão de Conhece ao teu Cliente (KYC).

A Hydra está planejando emitir 1.470.000 tokens, o qual representaria 49% do novo projeto, e está prometendo dividendos mensais de USD 500 em bitcoin por cada token se os compradores adquirem mais de 100.

Isto quer dizer que os operadores da Hydra esperam que Eternos gere mais de USD 15 milhões por mês. “A estimação está baseada nas métricas de crescimento da Hydra” conforme diz o anúncio.

O CoinDesk tentou contatar a vários dos moderadores listados no site da Hydra. Nenhum deles respondeu no momento da publicação. Um dos moderadores marcou a solicitude como spam.

A ICO alcançaria a milhares de usuários

A Hydra abriu em 2015, fornecendo um mercado para bens ilegais como drogas e seus ingredientes, documentos e dinheiro falsificado, e serviços de pirataria. De acordo com um meio de investigação russo, a base de usuários de Hydra excede os 2,5 milhões de contas, das quais 393.000 têm realizado pelo menos uma compra.

De acordo com a mesma Hydra, o número de usuários excede os três milhões e realizam mais de 100.000 negócios diariamente, comercializando cocaína da Colômbia, cannabis cultivada em casa, passaportes falsos, bancos de dados roubados de oficiais e dinheiro em troca do BTC.

As compras na Hydra são pagas em bitcoin ou por transferência eletrônica de dinheiro semelhante ao antigo, e agora defunto, mercado ilegal Silk Road, cujo fundador, Ross Ulbricht está cumprindo cadeia perpetua nos Estados Unidos. No entanto, ao contrário da Silk Road, os compradores da Hydra não recebem bens proibidos por correio, senão que eles são deixados em lugares segredos, escondidos cerca das cidades onde vivem.

Logo de pagar pelas compras, os compradores recebem endereços detalhados para chegar a um ponto exato num parque, a um caixa de correio ou outro lugar onde a “entrega” estaria esperando por eles. Os lotes são divididos por contratados pagos e nenhum dos três participantes da transação é pessoalmente.

O meio de pesquisa estima que, desde 2016, os usuários gastam mais de um bilhão de dólares em Hydra. O site agora tem sua própria equipe de desenvolvedores, serviços de segurança e assessores de drogas, de acordo com um membro anônimo da equipe que se comunicou com a mídia.

De acordo com a sua página de empregos, Hydra está contratando aos seus próprios químicos para verificar a qualidade das drogas vendidas em seu mercado.

 

Traduzido de: CriptoNoticias.
Versão traduzida do artigo de Anna Baydakova, publicado no CoinDesk.
Imagem destacada: colagem de CriptoNoticias a partir de imagem por Gorodenkoff / stock.adobe.com