O mercado de criptomoedas, com o bitcoin na cabeça, volta a ter jornada com números vermelhos. Nas últimas 24 horas do dia 26 de fevereiro, o preço do bitcoin perdeu ao redor de 6%, caindo abaixo da marca de USD 9.000 por primeira vez no final de janeiro, há quase dois meses.

Atualmente, a principal criptomoeda do mercado está sendo negociada a USD 5.889,40, de acordo com dados da CoinMarketCap. Especificamente, o valor do BTC não caiu para esse nível desde a quinta-feira 7 de maio do ano passado, de acordo com os registros no mesmo portal de monitoramento do mercado.

mercado-coinmarketcap-bitcoin
  • Facebook
  • Twitter
  • Google+
  • LinkedIn

O bitcoin não é o único com perdas entre a quinta-feira 7 maio de 2019 e este sábado 22 de março de 2020. De fato, entre as 20 principais criptomoedas, de acordo com a capitalização do mercado, apenas 4 tiveram um desempenho melhor que o BTC nas últimas 24 horas.

O restante das criptomoedas registram perdas maiores que as do bitcoin. Alguma delas com porcentagens acima de 10% para baixo. Entre estas criptomoedas, destaca-se o Dash (DASH), que caiu cerca de 11,68%, e no momento da redação deste artigo, com um preço de USD 63,37.

No período que descrevemos apenas Binance Usd (BUSD), Unus Sed Leo (LEO) e Usd Coin (USDC) apresentam números em verde. No entanto, esta última tem ganhado apenas 0,07% enquanto as outras duas tem aumentado mais de 5% nas últimas 24 horas.

Os mercados estão sofrendo pelo Coronavírus?

Entre as razões que estão sendo discutidas dentro do mercado de criptomoedas, parece haver algum consenso de que a crescente ameaça da pandemia do Coronavírus está afetando não apenas os criptomoedas, senão aos outros mercados.

A este respeito, o trader e analista venezuelano Alberto Cárdenas considera que o problema não é precisamente o Coronavírus. Através de uma mensagem na sua conta no Twitter ele afirmou que, na realidade, o que está causando a queda é uma narrativa gerada em torno desta ameaça, juntamente com um comportamento irracional do mercado.

Adicionalmente, o analista considera que, no caso de que nos próximos dias haja uma queda importante em ativos regulados, o bitcoin seria realmente testado em sua capacidade como um ativo de refúgio seguro. Por agora, ele sente que é prematuro falar sobre isso. “Bitcoin ainda não tem passado por uma verdadeira crise financeira”, disse ele em seu tweet.

Ao mesmo tempo da escalada do vírus, que se originou na China no início de 2020, fora das fronteiras do país asiático existem vários mercados com comportamentos negativos. As ações do mercado de ações e os mercados petroleiros têm sofrido perdas nos últimos dias, bem como o cobre, o milho ou a soja, de acordo com a análise da Bloomberg.

Em contraste com esses mercados, o ouro tem visto um aumento significativo, subindo mais de 5% no último mês e quase 0,19% nas últimas 24 horas.

 

Imagem destacada por AlekseyIvanov/stock.adobe.com
Traduzido de: CriptoNoticias