O grupo de serviços blockchain Bitfury associou-se com a companhia Hut 8 Mining Corp, dedicada a dar aceso á mineração de bitcoin. O projeto consiste em estabelecer grandes centros de processamento de dados que contribuam ao desenvolvimento da mineração de Bitcoin em América do Norte.

A aliança se deu a conhecer recentemente através de um comunicado de imprensa no blog oficial de Bitfury. Por meio da associação, ambas as companhias poderão adquirir, instalar, manter e operar centros de processamento de dados de mineração de bitcoin, que seriam os mais grandes de América do Norte” conforme o comunicado oficial.

Desta maneira, Bitfury fornecerá a Hut 8, de forma exclusiva, uma solução de mineração de bitcoin patenteada que combina hardware, software, instalação e serviços operacionais para as fazendas de mineração.

As motivações desta união parecem estar relacionadas com o crescimento de ambas as companhias e com o fato de que a mineração, ao igual que tudo o ecossistema de blockchain e de criptomoedas, cresce cada dia mais. Neste sentido, o CEO de Bitfury, Valery Vavilov, expressou o seguinte:

Estamos entusiasmados por associar-nos com Hut 8 para expandir nossas atividades no mercado estratégico Norte-americano (…) Acreditamos que existe uma grande oportunidade para estabelecer a América do Norte como um dos centros de mineração de criptomoedas mais importantes do mundo.

Valery Vavilov

CEO, Bitfury

Por seu lado, o CEO de Hut 8, Sean Clark, acrescentou:

Esta parceira significa a crescente demanda de acesso às oportunidades de investimento da Bitcoin na América do Norte. A quota de mercado de Bitfury, poder de contagem sem igual e a capacidade de escalar, em combinação com o conselheiro de Administração de fundos Michael Novogratz e o renomado capitalista de risco Bill Tai concordaram em prestar seus serviços oferecendo a Hut 8 uma vantagem extrema em um mercado competitivo.

Sean Clark

CEO, Hut 8

Desta forma, se estabelecem outros elementos de investimento com os que também contarão a iniciativa de ambas as companhias.

Além disso, logo de que esteja estabelecido por completo o acordo, Hut 8 se encarregará de operar as chamadas “fazendas de mineração maior de América do Norte”. A iniciativa se compõe em duas fases: na primeira, Hut 8 terá o controle sobre 22 centros de processamento de dados para minar bitcoin, que operam a 24.2 MW/165 PH/s ; a segunda, agendada para o trimestre primeiro de 2018, aumentará o controle dos centros de dados a 35 adicionais que operam a 38.5 MW/262.5 PH/s. Igualmente, para dita data, as companhias esperam uma cotação pública no mercado de ações canadense, uma vez que tenham a capacidade instalada que supere os 60 MW nas fazendas de mineração ou centro de dados.

Convém destacar, que a Bitfury tem 11 por cento da participação de mercado da mineração bitcoin. Ademais Bitfury fabrica seus próprios chips de Circuito Integrado Especifico de Aplicação (ASIC), os que eliminam a dependência de terceiros e aumentam o rendimento, o que possibilita reduzir custos e espaço. Junto a isto, ressalta o BlockBox AC, um produto de Bitfury que “permite encurtar significativamente o tempo de configuração requerido para estabelecer uma mineração de bitcoin efetiva a escala comercial”.

Finalmente, desde o anuncio Bitfury estará oferecendo umas 13.200.000, em uma colocação privada através de GMP Securities L.P, que podem ser pagas com bitcoin e que está dirigida a fase I da mencionada iniciativa de fazendas de mineração.

 

Traduzido de: CriptoNoticias.