Logo de que a bomba de dificuldade fosse retirada da rede de Ethereum Classic, as estatísticas desta blockchain começam a mostrar a influência daquela decisão, especialmente quanto à redução do tempo da geração de blocos e à rentabilidade da mineração.

A partir do bloco 5.900.000, minado o passado 29 de maio, Ethereum Classic trabalha sem esta característica que aumenta gradual e artificialmente a dificuldade de minado da rede após de uma determinada quantidade de blocos. Uma decisão que se tomou depois de aprovar-se a aplicação da ECIP 1041, proposta por Igor Artamonov.

Em dita proposta especifica-se que, dado que a rede não vai migrar a um esquema de Prova de Participação (PoS) como no caso de Ethereum, manter a bomba de dificuldade poderia ter resultado prejudicial. A rentabilidade da mineração era o aspeto que corria mais risco, já que se tivesse visto reduzida a zero no bloco 6.500.000, de ter-se mantido a bomba, conforme explicava o mesmo Artagonov ao apresentar a EICP 1041.

O mais significativo dos resultados fornecidos por esta medida tem sido a redução do tempo de geração dos blocos que, antes de desativar, se localizava em 37 segundos e baixou a 23 segundos o dia seguinte da supressão da bomba de dificuldade. A importância deste fato arraiga em que o tempo de geração dos blocos tinha aumentado consideravelmente desde a primeira semana de abril, chegando a um topo de 40 segundos nos dias prévios à supressão do mecanismo de aumento de dificuldade.

Classic-ETC-Blocos-Ethereum
  • Facebook
  • Twitter
  • Google+
  • LinkedIn

Classic-ETC-Blocos-Ethereum
  • Facebook
  • Twitter
  • Google+
  • LinkedIn
Gráfico que mostra a queda significativa no tempo de geração de blocos de Ethereum Classic. Fonte: BitInfoCharts

O aumento da velocidade de geração dos blocos pode ajudar a que a mineração seja atrativa, dado que os mineiros poderão processar uma maior quantidade de blocos e assim receber mais recompensas por seu processamento. Neste sentido, a rentabilidade da mineração de ETC reflete um crescimento. A cifra passou de $0.03 diários por cada Mhash/s minado, enquanto contava com a bomba de dificuldade, a $0.045 após sua desativação.

Minado-Gráfico-Ethereum-Classic
  • Facebook
  • Twitter
  • Google+
  • LinkedIn

Minado-Gráfico-Ethereum-Classic
  • Facebook
  • Twitter
  • Google+
  • LinkedIn
Gráfico de rentabilidade da mineração de ETC durante 2018. Fonte: BitInfoCharts

No entanto, ao diminuir o tempo que demoram os blocos em gerar-se, também tem aumentado o minado de blocos vazios. De acordo com os dados de Gastracker.io, da cada 10 blocos criados, ao menos 3 ficam completamente vazios e alguns com só 1 transação. De fato, num intervalo de apenas 1 minuto se chegou a constatar a coincidência de até 5 blocos vazios num grupo de 10 criados. A quantidade de blocos vazios oscila entre o 30 e o 50% após da redução nos tempos de geração.

Blocos-Vazíos-Gastracker-ETC
  • Facebook
  • Twitter
  • Google+
  • LinkedIn

Blocos-Vazíos-Gastracker-ETC
  • Facebook
  • Twitter
  • Google+
  • LinkedIn
Bloques vacíos minados en la blockchain de Ethereum Classic. Fuente: Gastracker.io

Antes da última atualização de Ethereum Classic, a dificuldade da rede se localizava em mais de 150 TH; mas, no dia após de  desativar a bomba de dificuldade, esta desceu a 115 TH. De acordo com etcstats, atualmente a dificuldade se encontra em 107.46 TH. Enquanto, conforme WhatToMine, ETC se encontra em segundo lugar quanto a rentabilidade para minar com placas gráficas, superado apenas por Bitcoin Interest, uma criptomoeda produzida depois de uma bifurcação em Bitcoin.

Rentabilidade-Dificuldade-nodo-ETC
  • Facebook
  • Twitter
  • Google+
  • LinkedIn

Rentabilidade-Dificuldade-nodo-ETC
  • Facebook
  • Twitter
  • Google+
  • LinkedIn
Rentabilidade da mineração ETC com placas gráficas. Fonte: WhatToMine

Alguns usuários de redes sociais têm assegurado que estas mudanças não são tão remarcáveis ainda, assinalando que apesar da redução da dificuldade e a eliminação da bomba, os rigs de mineração ainda apresentam baixas recompensas. Assim, está o caso de um usuário de Reddit que reportou que apesar das medidas empregadas, não tem tido nenhuma mudança significativa quanto à rentabilidade de seus mineiros.

“Dentro de nossa comunidade não estamos convencidos de que estas versões mais novas de consenso estejam mais descentralizadas e tememos de alguma maneira que sejam mais centralizadas que a prova de trabalho”, expressou sobre esta decisão o desenvolvedor de Ethereum Classic, Anthony Lusardi. Dado que o projeto não pretende seguir a mesma rota de transição que Ethereum, a eliminação da bomba de dificuldade foi considerada como um passo necessário pela comunidade.

 

Imagem destacada por: tashatuvango / stock.adobe.com

Traduzido de: CriptoNoticias