O projeto Litecoin perdeu mais da metade do poder de computação (hash rate) de sua rede, três meses depois de ter-se completado o segundo evento halving de sua historia. Assim é revelado pelos dados registrados na página de seguimento Bitinfochart.

Os registros refletem uma perda de 64,6% no hash rate do Litecoin desde seu nível máximo deste ano, o qual se produz em 14 de agosto passado. Desde então, quando a rede tinha um poder de computação de 523,9 terahashes por segundo, esse indicador caiu para os 185,1 terahashes por segundo, que marca no momento da redação deste relatório.

A diminuição do hash rate de uma criptomoeda é o indicador de que determinado número de mineiros tem deixado a rede, em procura de opções mais rentáveis. No caso do Litecoin, as cifras de rentabilidade da mineração do seu token se encontrem atualmente em torno de seus mínimos históricos.

litecoin-hash-rate
  • Facebook
  • Twitter
  • Google+
  • LinkedIn

litecoin-hash-rate
  • Facebook
  • Twitter
  • Google+
  • LinkedIn
A rede de Litecoin perdeu uns 338 Th/s em seu poder de processamento desde 14 de agosto deste ano. Fonte: bitinfochart.com

O desempenho do Litecoin nos últimos três meses chamou particularmente a atenção, já que se acredita que as criptomoedas baseadas nas mesmas regras econômicas do Bitcoin, como é seu caso, sejam reavaliadas depois de um halving. Convém lembrar que o halving é um evento codificado no protocolo da criptomoedas como Litecoin e Bitcoin, que reduz pela metade a recompensa por bloco minado, cada certo tempo. Em teoria, essa ação introduz um elemento de escassez na emissão de tokens, o que faz que cada unidade valha mais.

O halving do Litecoin ocorreu em 5 de agosto, no auge do bloco 1.680.000, com uma redução da emissão de tokens de 25 LTC para 12,5 LTC por bloco minado. Como relatou o CriptoNoticias, os preços do litecoin cresceram imediatamente após o evento em cerca de 11%. Não obstante, esse ímpeto no preço não se manteve no tempo, o qual contribuiu á diminuição da rentabilidade e á perda de interesse dos mineiros.

litecoin-rentabilidade-Mineração
  • Facebook
  • Twitter
  • Google+
  • LinkedIn

litecoin-rentabilidade-Mineração
  • Facebook
  • Twitter
  • Google+
  • LinkedIn
A rentabilidade da mineração na rede do Litecoin se encontra em mínimos históricos. Fonte: bitinfochart.com

O Litecoin, é atualmente a sexta criptomoeda com a maior capitalização do mercado. Conforme cifras de Messari.io, sua capitalização atual é de USD 3.730 milhões. No entanto, mesmo que os preços de LTC tenham se recuperado fortemente em meados do ano, até alcançar cerca de USD 140, atualmente retornaram aos níveis de setembro de 2018, em torno de USD 58,7 por unidade.

Entre as preocupações que tem saído a reduzir com a queda do hash rate do Litecoin, está a segurança da rede. Alguns têm trazido acima o caso do Ethereum Classic, a rede que sofreu um ataque de 51% em janeiro deste ano.

Nesse caso, uma baixa hash rate facilitou a ação contra o Ethereum Classic, já que os atores maliciosos conseguiram monopolizar 58% da energia da rede. Não obstante, os entusiastas do projeto Litecoin apontaram que, apesar do descenso, o atual poder computacional dessa criptomoeda é 20 vezes maior que o do Ethereum Classic no momento do ataque.

O fundador do startup Crypto Capital Venture, Dan Gambardello, quem publica a análise do mercado de Bitcoin e Litecoin no Youtube, mostrou num tweet que a situação atual do Litecoin não é motivo para preocupar-se. Em sua opinião, a queda do hash rate dessa criptomoeda se relaciona com os ciclos do mercado de Bitcoin. “O BTC se está preparando para dominar. As pessoas/mineiros querem ser parte importante de isso tanto como seja possível. LTC está bem”, publicou o analista.

 

Imagem destacada por AlekseyIvanov/stock.adobe.com
Traduzido de: CriptoNoticias.