O banco da Reserva da Índia (RBI) tem deixado claro sua forte posição sobre o uso de criptomoedas em uma reunião de banqueiros este 6 de novembro, explicando que o banco não tem intenção de permitir seu uso no país.

Durante a edição de 2017 da FIBAC, uma conferência anual do setor bancário e financeiro nacional, patrocinada pela Federação da Câmara de Comércio e Indústria da Índia e a Associação dos Bancos da Índia, a qual foi realizada na cidade de Mumbai, o diretor executivo do RBI, Ganesh Kumar, deu declarações sobre a perspectiva do banco em quanto às criptomoedas em uma resposta do público, de acordo com o portal informativo Quartz Índia.

Nossa posição ao momento sobre a Bitcoin é que não estaremos utilizando para nenhum pagamento ou acordo… Embora a investigação da tecnologia subjacente ás criptomoedas não terminarão.

Ganesh Kumar

Diretor Executivo, Banco da Reserva da Índia

Embora não tenha sido feito ainda um anúncio oficial, essas declarações parecem contradizer as oferecidas no mês de setembro pelo diretor do RBI Sudarshan Sen, quem revelou que se encontravam investigando a criação de uma criptomoeda fiat para mitigar o problema atual da liquidez de efetivo no país. No entanto, ao tratar-se de uma moeda emitida pela instituição financeira, não está relacionada com os criptoativos de fonte aberta e descentralizado como Bitcoin ou Ethereum.

Esta não é a primeira vez que o governo indiano rejeitam as criptomoedas como uma forma de pagamento legal. A relação do país asiático com os criptoativos tem tido seus altos e baixos.

Durante os primeiros meses do ano, o foco foi sobre a regulação e a supervisão de Bitcoin, pois ao governo nacional lhe preocupa a possível lavagem de dinheiro de operações ilegais que se possa encobrir utilizando estas ferramentas. Estabeleceu-se um comitê para a criação do quadro regulatório de tokens, e no mês de maio se ativou uma série de pesquisas por parte do Órgão de Investigação de Fraudes (SFIO) e á ROC (Register of Companies) nas que se investigaram a ás empresas suspeitadas de estarem envolvidas em operações fraudulentas com criptomoedas.

Embora nem tudo seja negativo. A abertura para blockchain teve um lugar, já que oferece infinitas possibilidades para potenciar o sistema bancário, proteção de informação e meios de pagamento. Por exemplo, a companhia BlockSmiths em associação com NASSCOM (National Association of Software Companies) se encontra trabalhando na promoção de tecnologias blockchain e FinTech em todo o país, especialmente em Startups.

Além disso, os estados sulista de Telengana e Andhra Pradesh se encontram aplicando um programa piloto baseado em tecnologia blockchain para o registo de terras e propriedades desde o mês de junho deste ano. Por o que parece que a aplicação de blockchain se teria um amplo espaço no país do Sudeste Asiático.

 

Traduzido de: CriptoNoticias