Embora os contratos futuros tenham sido o furor do último mês nos Estados Unidos, a Comissão de Supervisão Financeira de Coréia do Sul anunciou a proibição de qualquer venda de contratos futuros de bitcoin no território neste 5 de dezembro através da Associação de Inversões Financeiras de Coréia.

De acordo com os relatórios oferecidos pelo diário The Korea Herald, a razão oferecida para esta decisão é que a Comissão de Supervisão Financeira não reconhece o bitcoin como um ativo, portanto não seria legal a comercialização de seus futuros. Coréia do Sul revelou há alguns dias modificações nas regulações existentes que tem como objetivo forçar as instituições de câmbio a estabelecer medidas que advirtam a seus usuários que as criptomoedas não são “dinheiro virtual”.

As empresas sul-coreanas que desejavam participar no oferecimento de futuros de bitcoin para os clientes tiveram que deter os procedimentos que levavam adiantados. A empresa eBest Investment & Securities suspendeu um seminário para investidores de futuros de bitcoin agendado para o dia 14 de dezembro. Do mesmo modo a Shinhan Financial Investment, dona do Shinhan Bank, cancelou seu seminário do dia 15.

Estas regulações foram reveladas depois da preparação de um comité da associação cívica criado para lutar contra o vazio jurídico das criptomoedas no país, que está liderado por Kim Jin-hwa e do qual formam parte Bithumb, CoinOne e Korbit. A partir do mês de janeiro, as casas de câmbio coreanas estarão obrigadas a solicitar a seus clientes uma única identidade verificada do mundo real para realizar a compra ou venda de criptoativos. 

Em finais de novembro o diretor do Serviço de Supervisão Financeira de Coréia do Sul (FSS), Choe Heung-sik, declarou durante um almoço com a mídia, que os tokens digitais e as criptomoedas não serão reconhecidos pela organização como produtos financeiros e que, portanto, não estarão sob a regulamentação desta entidade.

A primeira empresa em aventurar-se na venda de contratos futuros de Bitcoin foi o grupo financeiro CME, a qual os oferecerá a partir do dia 18 de dezembro. Ditos contratos serão o primeiro produto financeiro baseado em criptomoedas lançado por um dos maiores mercados de derivativos na atualidade.

Mas, embora o grupo CME fosse o primeiro, não são os únicos em fazer parte desse crescimento. O Chicago Board Options Exchange (CBOE) anunciou o 1eiro de dezembro que enviaram uma solicitude perante a Comissão de Comércios Futuros sobre as Mercancias dos Estados Unidos de América para oferecer a comercialização de futuros de Bitcoin. Esta petição foi aprovada apenas três dias depois e os futuros serão lançados no 10 de dezembro.

 

Traduzido de: CriptoNoticias