De acordo com uma investigação desenvolvida por especialistas do escritório do governo de Québec (Canadá), Bitcoin não é uma ferramenta para a lavagem de dinheiro, nem um “imã” para outros tipos de atividades delitivas. O escritório do cientifico chefe do governo da cidade canadense publicou um artigo sobre a investigação em onde se sometem este tipo de rumores a um exame check-up de fatos.

Este relatório examinou a suposição comum sobre um dos principais usos de Bitcoin é a lavagem de dinheiro, e a investigação sugere que a criptomoeda não é, na realidade, um veículo ideal para o crime e a lavagem de dinheiro, especialmente por seu nível de privacidade, o que faz ás transações susceptíveis a ser rastreadas e identificadas pelas autoridades.

O artigo citou a postura de Christine Lagarde, presidenta do Fundo Monetário Internacional (FMI), quem recentemente pediu uma maior regulação das criptomoedas para contrabalançar atividades ilegais. No entanto, apesar da difusão do preconceito, “os fatos não respaldam a teoria do crime”. De fato, conforme um estudo citado, por parte da Fundação para a Defesa da Democracia, as transações de bitcoin ilícitas entre 2013 e 2016 apenas representam um 0,61% do total.

O relatório também considera que há outras criptomoedas, como Zcash ou Monero, cujos níveis de privacidade e anonimato as fariam mais atrativas para estes propósitos, e acrescenta que apenas uma pequena parte do dinheiro que os criminosos manejam a nível global provê ou passa pelo criptomundo.

Bitcoin não está acima da lei, nem é um ímã para as transações ilícitas: forma só uma pequena parte do dinheiro criminoso que circula pelo planeta. O motivo: é menos atraente para quem quer fazer transações sem deixar rastro.

Escritório do cientifico chefe do governo

Québec, Canadá

Apesar disso, o relatório também incita aos investidores a ser cauteloso, especialmente logo de que a Autoridade dos Mercados Financeiros de Canadá advertira aos usuários sobre a necessidade de ser precavidos com este tipo de instrumentos, salientando a necessidade de que se informem para prever fraudes e perda de dinheiro.

Recentemente, o Canadá registrou cifras recordes de intercâmbio através de LocalBitcoins, e somente durante a última semana de março se comerciaram mais de 8 milhões de dólares canadenses através desta plataforma de intercâmbio; uma cifra extremadamente significativa num pais onde o interesse nas criptomoedas tem sido crescendo nos últimos tempos.

Imagem destacada de alfexe / stock.adobe.com

Traduzido de: CriptoNoticias