A casa de câmbio de criptomoedas Binance liberou o código de sua própria implementação do Esquema da Assinatura Limiar ou Threshold Signature Scheme (TSS), que de acordo com seu CEO, Changpeng Zhao, transformará os serviços de moedeiros e de custódia no ecossistema.

O executivo considera que o uso desse esquema excederá até os níveis de segurança do protocolo multi-firma, um método amplamente usado na indústria para a transferência de fundos desde endereços conjuntos.

A Binance assinalou que o esquema TSS lhe permitirá aos provedores e custódios de moedeiros evitarem os pontos únicos de falhas em chaves privadas com administração de chaves distribuídas. O protocolo é compatível e reutilizável para redes que funcionam com o Algoritmo da Firma Digital de Curva Elíptica (ECDSA) e que inclui a Binance Chain, Bitcoin e Ethereum.

Multi-firma vs. Firma Limiar

A diferença do protocolo multi-firma, no qual uma chave é gerada para cada participante e uma combinação delas deve assinar a transação para que sejam válidos, no Esquema de Assinatura Limiar os participantes recebem uma parte da chave única e certa quantidade predefinida dessas partes deve ser usada na geração da chave e o posterior assinado da transação.

chave-Privada-1-Multifirma-Bitcoin
  • Facebook
  • Twitter
  • Google+
  • LinkedIn

chave-Privada-1-Multifirma-Bitcoin
  • Facebook
  • Twitter
  • Google+
  • LinkedIn
Abóbada TSS: duas chaves, duas fechaduras. A abobada é mais «pesada» e se vê diferente. Fonte: ZenGo.

Por exemplo, para realizar uma transação multi-firma com configuração 2-de-3, se necessita que duas pessoas assinem a transação com suas chaves, deixando constância de isso na blockchain. Em contrapartida, para fazer uma transação TSS com a mesma configuração 2-de-3, se necessita que duas pessoas juntem seus segredos para gerar uma única chave que logo será usada para assinar a transação, para que na blockchain apenas se escreva uma assinatura, como se fosse uma transação normal.

Llave-Privada-2-TSS-Bitcoin
  • Facebook
  • Twitter
  • Google+
  • LinkedIn

Llave-Privada-2-TSS-Bitcoin
  • Facebook
  • Twitter
  • Google+
  • LinkedIn
Abóbada TSS: duas chaves, uma fechadura. A abobada parece mesmo uma abóbada clássica, de uma só chave. Fonte: ZenGo.

Conforme a firma de segurança de criptoativos ZenGo, no Esquema de Assinatura Limiar as distintas chaves nunca se encontram, a assinatura é indistinguível de uma assinatura regular, por portanto universal, e os custos associados e sua privacidade são os mesmos de uma chave regular (menor que os de uma multi-firma). No entanto, eles destacam que, devido á natureza interativa dos processos de conformação de chaves «se requer que todas as partes estejam presentes durante a ação (ao contrario da multi-firma na qual cada uma das partes pode assinar de formar assíncrona)».

O nascimento do Esquema da Assinatura Limiar ocorre em 1994, desde a publicação do paper «Como compartilhar uma função de forma segura», de Alejandro De Santis, Yvo Desmedt, Yair Frankel e Moti Yung, e, até agora, o esquema só tinha sido utilizado pelo setor militar e o governo, conforme indica Wikipedia.

Auditaria e reações

Para avaliar a livraria antes de liberá-la, a Binance auditou o código com a empresa Kudelski Security que determinou, de acordo com a própria casa de câmbio, que nenhum dos problemas encontrados na auditoria poderiam ser explorados para quebrar completamente a segurança do esquema ou recuperar dados segredos.

Na comunidade, os entusiastas receberam as notícias com satisfação e assinalaram que o desenvolvimento sugere que, no futuro os TSS serão mais simples de implementar. Ao menos é o que considera o bitcoiner Udi Wertheirmer, quem em sua conta no Twitter indicou que “TSS é ótimo, a nova livraria do código aberto do @binance é uma contribuição bem-vinda, se pode usar com o Bitcoin de hoje”.

O usuário considera que a chegada das propostas Schnorr Taproot, como uma futura bifurcação suave do Bitcoin, fará que os TSS sejam mais simples.

Para o desenvolvedor Steven Goldfeder, quem participou em sua implementação, o protocolo já é usado em varias aplicações. Em seu Tweet no qual citou, o host do podcast Epicenter mostra as companhias que já trabalham com o Esquema de Assinatura Limiar sobre o ECDSA e indica que as pessoas já estão começando a ver o poder e potencial dessa tecnologia.

<blockquote class=”twitter-tweet”><p lang=”en” dir=”ltr”>TSS over ECDSA are gaining traction. People are starting to see the power and potential of this technology. <a href=”https://t.co/L8tBxNyYOL”>pic.twitter.com/L8tBxNyYOL</a></p>&mdash; Sébastien Couture (@seb2point0) <a href=”https://twitter.com/seb2point0/status/1189263121011089408?ref_src=twsrc%5Etfw”>October 29, 2019</a></blockquote> <script async src=”https://platform.twitter.com/widgets.js” charset=”utf-8″></script>

Embora a Binance assegura que sua proposta excederia a segurança do protocolo multi-firma, sua adoção estará diretamente relacionada com os resultado que demostra o gerenciamento de carteiras, serviços de custodia e outras aplicações relacionadas com a transferência e resguardo de fundos em criptomoedas.

 

Traduzido de: CriptoNoticias.