A Fundação IOTA disse nesta segunda-feira ter solucionado um erro de software que impedia que as transações fossem confirmadas na rede da IOTA, por um período de 15 horas.

De acordo com uma apresentação do GitHub publicada por um desenvolvedor da IOTA, um erro no software do nó criou um “estado corrupto do livro contábil” a noite do domingo passado.

“Existe um caso particular onde a Implementação de Referencia da IOTA (IRI) não levou em consideração uma transação que foi dividida em dois pacotes diferentes. Uma vez que a marcou como “contada” num dos pacotes, essa foi ignorada no seguinte pacote” se lê na publicação do GitHub.

Os usuários inicialmente anunciaram o problema no domingo, o qual levou cerca de quinze horas para que a equipe de desenvolvedores da IOTA resolver. O fundador da IOTA, David Sønstebø, disse que o erro da rede foi um pouco “menor” e que não se diferenciava muito de aqueles períodos onde a rede tinha sofrido de ataques de spam e, por isso, as transações reais se tinham desacelerado de maneira significativa.

A IOTA solicitou a seus usuários que executam nós IRI que os atualizassem com uma nova versão do software que corrige o erro.

O co-fundador da IOTA, Dominic Schnier, disse por meio de um correio eletrônico que o problema se originou no “software do atual nó da rede principal” e que não tinha nada a ver com o Coordenador, que é um nó especial que é operado pela Fundação, a qual é responsável das confirmações finais das transações na rede descentralizada da IOTA, que é conhecida com o nome da Tangle.

A equipe já começou a substitui-lo por um nó menos pesado, chamado Hornet e eles dizem que planejam remover o Coordenador uma vez que as equipes de engenheiros tenham provado e tenham solucionado qualquer possível problema da rede, com um evento que foi chamado como “o coodicidio”.

Após os relatórios sobre o erro na rede apresentado o domingo, Sønstebø defendeu a configuração atual, argumentando que era “precisamente o porquê a coordenação levava tempo, não se lhe pode executar até que todas as peculiaridades possíveis tenham sido sanadas”.

Não obstante, os críticos tem argumentado que a natureza centralizada de Tangle diminui seu desempenho e o torna vulnerável.

Em 2018, o investigador de blockchain Joseph Rebstock declarou que o Coordenador aprova de maneira automática os mesmos hashes, o que significa que atores maliciosos poderia roubar criptomoedas daqueles usuários que reutilizam os endereços das carteiras ao repetir os dados da transação. Posteriormente, Sønstebø negou que isso fosse uma vulnerabilidade.

Em um correio eletrônico enviado por Schiener na segunda-feira disse: “o coodicicio continua sem alterações, e a primeira prova será realizada em janeira”.

A Fundação IOTA projetou o Tangle para que fosse uma plataforma de transações para novas iniciativas da internet das coisas (IOT). No início de 2018, a capital taiwanesa de Taipei associou-se com a IOTA para provar um sistema de identificação de cidadãos à prova de falsificações.

Em abril de 2019, a Jaguar Land Rover revelou que estava provando um esquema de iniciativa para recompensar com tokens da IOTA a aqueles condutores que relataram informação sobre a condição das vias.

 

Versão traduzida do artigo de Paddy Baker, publicado no CoinDesk.
Imagem destacada por Visual Generation / stock.adobe-com
Traduzido de: CriptoNoticias